“No dia em que for necessário
vamos nos deparar com o que mais nos atormenta.

Entramos na canaleta da vida,
vivemos como se fôssemos eternos..
Tratamos o cômodo como inevitável
e nos confortamos com isso.

A tentativa do antídoto vira causa do envenenamento.

A câmera lenta é tão atraente
porque reparamos os detalhes.
Quanto mais sutil, mais profundo.
Quem se importa? Nem eu.

Talvez exista um momento certo,
pra acontecer o que a alma tanto deseja.
No dia em que for necessário.”

_______________
perdendo a razão
(15.07.14)